• LIFEmmo
  • LIFEmmo
  • LIFEmmo
  • LIFEmmo
Inicio Vegetação

Vegetação

Os andares bioclimáticos (termotipos) existentes no MMO são dois, entre um total de cinco existentes na ilha da Madeira; são eles o mesotemperado e supratemperado, O termotipo mesotemperado ocorre entre os 1.450-1.650 m.s.m. a Sul e entre os 1.650 m.s.m. a Norte, apresentando os ombrotipos Hiperhúmido superior e Ultrahiper-húmido. O termotipo Supratemperado inferior ocorre acima dos 1.650 m.s.m., o qual apresenta o ombrotipo Ultrahiper-húmido.

Os principais tipos de vegetação que ocorrem no MMO, determinados pelos termotipos e ombrotipos, estão enquadrados em dois complexos de vegetação climatófila não sinantrópica (séries de vegetação), nomeadamente: 1. Polysticho falcinelli-Erico arboreae sigmetum (série do urzal de altitude); 2. Armerio maderensis-Parafestuco albidae microgeosigmetum (vegetação rupícola de altitude).

Urzal de altitude


O primeiro complexo de vegetação ocupa principalmente as cotas compreendidas entre os 1.400 e os 1.650 m.s. m., sendo mais rara acima dos 1.650 m.s.m. devido à predominância de afloramentos rochosos. No entanto, nas bolsas de solos mais profundos ainda se encontram finicolamente alguns urzais arbóreos. Nas clareiras dos urzais arbóreos ocorrem as comunidades vivazes esciófilas de Teucrium francoi. A orla desta floresta é uma comunidade quase monoespecífica de Erica platycodon subsp. maderinicola. Numa segunda orla arbustiva, temos um urzal camefítico de Erica maderensis que, com outros elementos arbustivos, ocupa grandes extensões, e constitui, presumivelmente, uma comunidade permanente em biótopos rochosos. Esta série apresenta 5 principais etapas, nomeadamente o bosque representado pela associação Polystichum falcinelli- Ericetum arboreae (Urzal de Altitude), o matagal representado pela comunidade arbustiva de Erica maderinicola (Erica scoparia subsp. maderinicola), os arrelvados vivazes representados pelas associações Vicio capreolatae-Odontidetum hollianae e Teucrio francoi-Origanetum virentis, o mato baixo representado pela associação Argyranthemo montani-Ericetum maderensis, e o arrelvado anual representado pela associação Leontodo longirostris- Ornithopetum perpusilii

Argyranthemum_pinnatifidum_montanum_5a759.JPG Berberis_maderensis.jpg Echium_candicans_7181b.JPG Erica_arborea_fa2d8.JPG Erica_maderensis_25b47.JPG Erysimum_bicolor_62b0a.JPG Melanoselinum_decipiens_3ec36.JPG Odontites_holliana_1_b04a0.jpg Pericalis_aurita_3e41e.JPG Ranunculus_cortusifolius_12ec3.JPG Sorbus_maderensis_flor_7a799.JPG Teline_maderensis_d2622.JPG Vaccinium_padifolium_flor_a60f2.JPG

Vegetação rupícola de altitude


O segundo complexo de vegetação é constituído por comunidades rupícolas permanentes da porção cacuminal rochosa da Madeira (acima dos 1.650 m.s.m.). Esta vegetação é essencialmente constituída por mosaicos de 3 comunidades: i) Armerio maderensis- Parafestucetum albidae (com as seguintes espécies dominantes: Deschampsia maderensis, Koeleria loweana, Antoxanthum maderensis, Anthyllis lemmaniana, Armeria maderensis); ii) Sinapidendro frutescentis-Aeonietum glandulosi (com as seguintes espécies dominantes: Aeonium glandulosum, Sedum farinosum, Sinapidendron frutescens, Tolpis macrhoriza e Saxifraga maderensis subsp. pickeringii); iii) Thymetum micanthis (com a seguinte espécie dominante: Thymus micans).

Aeonium_glandulosum_4f528.JPG Aichryson_vilosum_9825e.JPG Anthyllis_lemmaniana.JPG Armeria_maderensis_1_c5d0d.JPG Bunium_brevifolium_flor_97454.JPG Bupleurum_salicifolium_4ed6f.JPG Deschampsia_maderense_f3866.jpg Rumex_bucephalo_59bdf.JPG Saxifraga_maderensis_pickeringii_4d56b.JPG Sedum_farinosum_ac3f6.JPG Sinapidendron_frutescens_98bad.JPG Thymus_micans_1a9f1.JPG Tolpis_macrorhiza_b5953.JPG Viola_paradoxa.JPG

No MMO ocorrem 14 comunidades vegetais, das quais 9 possuem um ou mais táxones incluídos nos anexos B-II ou B-IV da Directiva Habitats, ou no anexo I da Convenção de Berna. As restantes comunidades vegetais não possuem quaisquer táxones presentes nos anexos da Directiva Habitats e Convenção de Berna. No MMCO encontram-se 6 habitats, dentre os quais 3 habitats são de interesse comunitário da Directiva Habitats.

Entre estes últimos destaca-se três habitats prioritários, i.e. Charnecas Macaronésicas Endémicas, Florestas mediterrânicas de Taxus baccata e Florestas endémicas de Juniperus spp.

 

 

                                                                                                                                                                                                                                  Contacto